NOTÍCIAS

Força Tática prende dois homens e apreende 250 mil em cigarros contrabandeados


Força Tática prende dois homens e apreende 250 mil em cigarros contrabandeados

Por | 18/05/2022

Uma operação da Força Tática com os Militares, tenente Luiz Neto, sargentos Gilberto e Uewertom, cabos Mattos, Vasconcelos, Araújo, Pereira, além dos soldados Menezes, Adriano Reis, Ortega e participação do cabo Alex, que estava de folga, resultou nas prisões de dois homens, apreensão de um veículo Van Renault Master e mais 76 mil maços de cigarros contrabandeados do Paraguai, sendo a carga avaliada em R$250.000,00. Segundo consta, as equipes de Força Tática receberam denúncia de que em uma empresa no Distrito Industrial II, havia uma grande quantidade de cigarros oriundos de contrabando do Paraguai e que estes cigarros estariam no interior de uma Van de cor prata. A denúncia apontava ainda que estes cigarros seriam revendidos na região e pertenciam a pessoa de “Eder”, vulgo “Gordão de Taiuva” e Eurípides, vulgo “Euripinho”. Desta forma os policiais foram até a referida empresa e pelo muro foi possível avistar a Van, ocasião em que um veículo UP, branco, saiu do local, sendo acompanhado e abordado. Em revista nada de ilícito foi encontrado, apenas um cigarro que estava em posse do condutor do carro, e ao ser indagado sobre a Van e cigarros o proprietário da empresa, que estava de passageiro no veículo abordado, informou que a Van era de um amigo que pediu para deixa lá pela empresa por uns dias, pois estava com o motor fundindo, mas ele não sabia se havia algo no interior da Van. Com a autorização do dono da empresa, que acompanhou a ação dos policiais, foram encontradas diversas caixas de cigarros contrabandeados, ocasião em que o proprietário da empresa ligou para o amigo, de nome “Eurípides”, que foi até a empresa e assumiu a carga de cigarros, dizendo que estaria vendendo cigarros por necessidades. Diante dos fatos foi dada à voz de prisão a “Eurípides” reservado seus direitos constitucionais, e os dois homens foram conduzidos ao plantão de Polícia Federal em Ribeirão Preto, onde após prestarem depoimentos, eles tiveram suas prisões ratificadas, sendo recolhidos em uma cela anexa ao Plantão de Policia Federal, onde permaneceram a disposição da Justiça.