NOTÍCIAS

Projeto “Eu pratico Esporte Educacional Escolar” traz prática de judô para a rede municipal

 

O judô é uma das 13 modalidades esportivas que foram incluídas no projeto “Eu pratico Esporte Educacional Escolar”, da Secretaria da Educação (Sedu), com aulas iniciadas em 2022. Nesta quinta-feira, alunos das E.M. “Dr. Achilles de Almeida” e da E.M. “Quinzinho de Barros”, que adotaram essa modalidade esportiva como parte do novo projeto, se reuniram no Centro de Referência em Educação (CRE) para um treino coletivo coordenado pelo técnico em esporte da Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida (Sequav), Leonardo de Oliveira e Silva. Também participaram das orientações aos estudantes os professores de Educação Física da Sedu, Anderson de Lucena e Rafael de Moraes Carvalho Dias.

A ação contou com a participação do secretário da Educação, Marcio Carrara, e também recebeu a visita do prefeito Rodrigo Manga, que fez questão de ir cumprimentar o grupo de alunos participantes e suas famílias. Na ocasião, o chefe do Executivo elogiou a iniciativa e destacou sua relevância na formação dos alunos. “Fiz questão de vir aqui agradecer a toda a equipe da Secretaria da Educação por esse trabalho que estão fazendo. É muito importante esse incentivo ao esporte, que vai contribuir para a formação dos alunos. Sabemos da importância do esporte na vida das nossas crianças. Espero que todas continuem praticando esse e outros esportes. Tenho a certeza de que isso irá ajudar vocês a se tornarem homens e mulheres de bem, além de muito bons alunos. E vocês representam o futuro da nossa cidade, do nosso estado e do País”, ressalta o prefeito Rodrigo Manga, dirigindo-se diretamente ao grupo de alunos.

O secretário da Educação também destacou o propósito da iniciativa. “Nós sabemos da importância da prática de esportes para a vida e nosso objetivo, além de levar mais uma modalidade para as escolas, é de mostrar também, desde cedo, para as crianças, que todos nós podemos praticar esporte”, destaca Carrara.

A gestora de Desenvolvimento Educacional, Priscila Cristina Gaspar Diogo, contou também como foram selecionadas as modalidades praticadas. “Essas 13 práticas esportivas foram selecionadas pelos professores de Educação Física das escolas. Eles são especialistas em cada uma dessas áreas. São professores que amam essas práticas e querem passar esse amor e conhecimento aos alunos. Então, acredito que seja um ganho pessoal, além de profissional, para esses professores também, que estão muito motivados para ensinar os alunos”, ela acrescenta.

A supervisora da Sedu, Ana Paula Libório de Arruda, também participou da ação especial envolvendo as escolas e opinou a respeito dos ganhos pedagógicos proporcionados pelo projeto. “Uma das coisas mais bonitas que percebi que o projeto trouxe é o sentimento de inclusão. Todos podem participar, independentemente de forma física e de eficiência esportiva. E essa possibilidade traz também algo muito pertinente, que é conseguir trabalhar as questões das vivências no coletivo, das regras, tudo isso traz para a escola, principalmente após um período de pandemia, uma interação entre os alunos. Isso faz muito bem para a criança e acaba, de certa forma, influenciando positivamente no seu rendimento pedagógico. Acredito que essa aproximação entre eles seja uma das coisas mais significativas do projeto ‘Eu Pratico Esporte Educacional Escolar’”, conclui.

Nas escolas, já é possível sentir os primeiros resultados da atividade. E são todos muito animadores, segundo atesta, por exemplo, o diretor da E.M. “Dr. Achilles de Almeida”, Ricardo da Silva Sampaio. “Vemos que tem muita gente interessada. Na nossa escola, estamos com as práticas de judô, tênis de mesa, futebol de salão, handebol e voleibol. E estamos com uma procura muito grande para todas essas modalidades. É algo muito importante para o desenvolvimento da criança, inclusive no aspecto da disciplina.”

“Ver tantas crianças envolvidas com o esporte e interessadas em praticar o judô é algo fenomenal! Percebemos que o esporte está sendo muito bem visto e procurado, especialmente após a pandemia, quando muitas famílias se deram conta da importância de colocar as crianças para se movimentar, mas, além disso, participar de algo que defina disciplina, que ofereça respeito. Antes de qualquer questão corporal, estão buscando os valores imbuídos no esporte. Acho que essa é a função principal, no meu entendimento. O que se aprende no tatame se leva para fora, para todos os espaços e se leva para o resto da vida”, conclui o professor Leonardo de Oliveira e Silva, que orientou as turmas de alunos sobre os exercícios de judô.

Na opinião dele, levar o esporte para a escola é algo tão efetivo, pois é nesse ambiente que se encontram as crianças, ávidas para aprender e se desenvolver, além de prontas para absorver todos os benefícios proporcionados por essas atividades. “Assim, vejo que conseguimos realmente formar de modo adequado, sob todos os ângulos: intelectual, moral e social, não apenas o físico.”

Fotos: Michelle Alves – Secom